segunda-feira, 12 de maio de 2008

Não sei dizer...


Não sei explicar. Não sei dizer...

Os olhares são todos iguais. Os de interesse, os de desinteresse, os desprezíveis, os apetecíveis...

O teu não sei explicar. Não sei dizer...

A beleza resume-se às combinações ou da totalidade do bonito, normal e feio.

A tua não sei explicar. Não sei dizer...

A inteligência existe ou não existe, tem subtipos e são todos mensuráveis.

A tua não sei explicar. Não sei dizer...

Porque sinto que vou gostar demasiado de ti.

Porque sinto que vais gostar de me conhecer...

Não sei explicar. Não sei dizer...

Vou ficar aqui à espera do tiro de partida para corrermos a corrida mais longa em resistência, inventada por nós, lado a lado, até cortarmos a meta empatados.

2 comentários:

Diana disse...

Seu blog tocou minha alma...
Tem um sentimento muito forte de dependência subescrita...
Parabéns!
^^,

Tari disse...

Obrigada Diana!
Ainda bem que tocou e espero que passes cá mais vezes.
Um até já e muito em breve te farei uma visita.
Beijinhos**