sexta-feira, 10 de abril de 2009

Corta A Cena!


Numa das noites em que gozávamos a penumbra magnífica dos nossos corpos, muitas vezes nem suados mas validos, numa altura em que estávamos parados à espera da próxima parada, num momento em que me agarraste a perna como se ela fosse fugir, num segundo em que eu nem pensava, numa fracção de segundo em que um raio te enraizou de fragilidade disseste, com calma, que me querias para sempre.
Eu, estática de corpo e prática de cabeça disse, sem calma nenhuma, para não repetires isso e, de modo a sublinhar a minha decisão, desenhei com maiúsculas um NUNCA MAIS no final da frase.

Ao contrário da minha vontade de me livrar de posteriores puxões e palavrões, ficaste ali, seguraste a minha perna como sempre fizeste e apenas deixei de te sentir.
Não estavas ali e eu também não.

Eu não te queria, tu sabias. Tu já não me querias, depois de proferida a minha fatídica frase, mas não saías dali e não descortinavas os porquês de não seguires com a tua vontade.

A tua raiva de virar a cama, de pontapear-me a cabeça, de cotovelar-me a boca para que eu nunca mais pudesse matar-te com frases descabidas, de cabecear-me a barriga até eu vomitar as tuas frases preferidas, de me torceres toda até me ajoelhar e pedir-te perdão, de me arrancares punhados de cabelo e de me mutilares a cara para mais ninguém conseguir olhar para mim, para mais ninguém me desejar, para mais ninguém se apaixonar, para mais ninguém me amar e, mais importante do que isso, mais ninguém poder ser retribuído nesse tão previsível amor.

Por fim adormecemos estafados de tantos pesadelos acordados e, ao despertar, abraçaste-me com a ternura de nunca porque durante o sono eu te tinha ensinado, de ponta a ponta, o abecedário do amor.

Agora só me quero lembrar das palavras mágicas para se cortar a cena e eu poder fugir deste filme de terror!
!!

5 comentários:

ZicKroft disse...

Devias escrever um livro. E até tenho ideias para o nome:

Recuerdos de Tari
Tari la poetisa

Mais uma vez fiquei fascinado. És professora de quê?

beijo beijo *

red rocket disse...

Escreves no limite... ;)

beijo* Corto

Donnola disse...

"abraçaste-me com a ternura de sempre" era o que ele queria :P não fosse tu tão "nunca"

bravissimo!

ZicKroft disse...

Eu não sou muito bom em adivinhas, mas com tantas oportunidades que me estás a dar vejo que é pouco comum. Vou atirar para latim/grego ou religião em Moral.

ok, não faço ideia mas apostaria na área das linguas.

:p

Tari disse...

Zickroft:

Obrigada pelo elogio mas deixa-me dizer-te que essas ideias para título puxam um bocado ao parolo :P
Quanto ao resto já sabes ;)

Beijinhos


Red Rocket:

Nome original, é bem Mr Corto.
Por vezes...mais um bocadinho caio ao precipício, não? :P LOL


Donnola:

Obrigada pelo comentário e elogio. Pois quando corre tudo bem não sabe tão bem...Depende. O mais recente já é mais positivo. Espero que gostes.

Muah doninha*